quinta-feira, 31 de maio de 2007

Um coraçao de poeta...nao queria te-lo...mas...fazer o que né!???

Um coração de poeta...

Um coração de poeta...
Não se tenta entender...
Nada ele faz por mal...
Só controla-lo...não pode...
Como o vento ele sacode...
E balança...
Dança...
Se faz...
Um coração de poeta...
É louco...é labirinto...
É pouco...e imensidão...
De tanto espaço...
É infinito...
Não dá laço...
Nem nó...
Mesmo cheio de paixões...
Às vezes...
Se sente só...
E então...
Ele escreve...
Duma tristeza...a alegria...
Duma dor...da uma risada...
Transforma a noite...em seu dia...
E vai...
Levanta e cai...
Cai e levanta...
Chora...
Grita...
Canta...
A melodia dos versos...
A vastidão dos universos...
Simples...singelo...
Tímido...e sem vergonha...
Alfa, teta, gama e beta...
Não se decifra...
Um coração de poeta.

Duka Souto 31/05/07

O preto no branco...

O preto no branco...

O preto no branco...
Já ficando colorido...
Uma flor de puro encanto...
Deixa meu jardim florido...
E o jardineiro...
Abestalhado...
Bobo...
Bestificado...
Apaixonado...
Enamorado...
É isso mesmo...
Esvairecido...
Coisado...
Tão confundido...
Se sente achado...
Desconstruído...
Desencontrado...
E ao mesmo tempo...
Determinado...
A conhecer...
A descobrir...
A encantar...
A seduzir...
Isso se a flor...
Lhe permitir...

Duka Souto...31/05/07...1:35h AM

Sprekelia formosíssima...ou...flor-de-lis

Sprekelia formosíssima...

Ela é pura formosura...
flor pequena grandiosa...
a lua tem sua brancura...
e sua boca...
_minha nossa!!!

seu falar cheio de graça...
e de gesticulação...
seu olhar que embaraça...
seu beijar que é perdição...

o gosto, gostei...picante doçura...
a energia elevei...parei lá na loucura...
numa altura que tive receio...
ao olhar a distancia do chão...
vi um vão...sem inicio fim ou meio...
me perdi no toque de sua mão...

tão pequena de olhos fechados...
se abertos e nos meus fixados...
vejo sua alma...conheço seu ser...
enxergo o que quase ninguém pode ver...
busco por detalhes...seus gostos...prazeres...
seus pontos...que fazem...expressar meus dizeres...

Duka Souto...31/5/07...1:20h AM

sábado, 26 de maio de 2007

Barbuleta...essa minina visse!? adoro....

Barbuleta...

energia...
metafisica pura...
amizade que começa...
por tempo indeterminado dura...
assim...
aprendendo a voar...
digo...
re-digo...
e digo de novo...
coisa boa ter gente q nem tu no mei do povo...
rio...
de risada mermo...
onde a correnteza...
faz muitos redemoinhos...
e nesses aspirais enormemente coisadinhos...
é que olho tudo com beleza...
na certeza...
da incerteza...
é onde encontro o prazer...
de ser...
estar...
conhecer...
e entao...
puder...
ter poder...
para crer...
que posso...
voar sem olhar pra trás...
sem remorso...
de ir além do que os olhos...
comuns...
enxergam...
até naqueles que um mero olhar...
nos negam...
e pregam...
se pregam...
se pegam...
olhando pelo canto olho...
com maleita...
é que vejo...
a sintonia perfeita...
da lagarta que vira...
barbuleta...

duka souto
26/05/07

Filipe Ovelha diz Duka Souto responde...

filipe diz:
pra quem gosta e tá confuso,quando tá pra estar perto nervoso fica com frieza na barriga,aí ela tem que estar com muitos a sua atenção numa mesmo momento,aí fico agoniado,como faço?quer dizer que ficar quieto pra esperar ou procurar fazer outras coisas,conversar outras coisas sem se abalar,ou querer entra no meio de todos pra falar e ouvir o que prefiro que seja devagar,procurar conversar...
ou na calma de um olhar dizer pra que surja o que realmente é preciso pra mim ouvir falar?
dukasouto diz:
eu prefiro a calma de um olhar...
que nem sempre é mesmo calma...
no olhar da para ver...
a inquietude da alma
o calor
o fogo
o silencio...
e no momento...
o silencio...
grita...
fala...
queima e arde...
encanta mais que o sol no fim da tarde...
vamo entao continuar...
de repente pra repente...
vamo so versificar...
oq tem dentro da gente...
ficar contente..
alegremente..se alegrar
coisar coisa que sente...
deixar o coraçao falar
dialogar...
e as almas...
as energias de que somos feitos
cheias de luz e virtudes...
nao me lembro dos defeitos..
sem conceitos
pre-conceitos
ou pre-ocupaçoes...
verbo, verso, melodia...
faz nascer várias cançoes...
filipe diz:
sei de todo esse bem que atinge e nos cerca e somos,sinto tambem pelo hoje um tanto desse defeito que me transporta e sinto por sentir que pode me fechar algumas portas,que veem e podem ser meio tortas,diante de tanta beleza do coração de um amigo nao me sinto mais ferido ,sinto a paz grande de quem tambem se ve cheio de defeitos e que viaja em seus paradeiros transporte de pernas que assim percebo
dukasouto diz:
e assim percebo...que no meio disso tudo...de defeitos e virtudes...vejo alem do absurdo...
viajo no meu paradeiro...
nunca olho para trás
olho as flores dos canteiros...
quero sempre algo mais...
e os sais...
o salitre...
a maresia...
o orvalho que há nas folhas...
quando amanhece o dia...
filipe diz:
verso e poesia pra quem sofre tanto ,ronda tanta agonia que palavrar contente me retomo pois amanheço a tempos bem cedinho no clarear do dia e sinto muito mais com suas palavras carregadas de ventos rajantes de amor pelo simples viver da beleza do ser do dia que vem melhorando pra um caba que ta na bahia que sinto aqui com força e felicidade de te ter conhecido um dia
dukasouto diz:
sem palavras

Olhar de fogo..girassol e margarida

Olhar de fogo...girassol e margarida

Fogo nos olhos...alma...
Inquieto olhar curioso...calma...
E assim foi que vi...
Em poucas olhadas de lado...
Uma boca gostosamente gostosa a rir...
Ela adora brincar com as chamas...
Malabares de fogo...
Energia de calor...
E o jogo...
Onde paixão vira amor...
Onde um olhar...grita em silêncio...
E um instante...se torna infinito...
Como o brilhar do pôr-do-sol...
Que é tão bunito...
E encanta como quem canta uma serenata...
Transforma insensatez...em coisa sensata...
Explode em forte...onda metafísica...
Faz faiscar...
Centelha...queima e arde...
Imagino ficar pertin no fim da tarde...
Na cidade das moças florificadas...
Ver numa delas...
Olhos de fogo...
Fogueira...
Coisas belas...
Mesmo pequenina...
Olhar pra ela e vê-la enorme...
Mulher e menina...
Fascina...
Encanta...
Enamora...
Aprisiona...
Liberta e vai embora...
Na hora que é pra ir...
Sem despedida...
Olhei de novo...
E em seu olhar de fogo...
Descobri uma flor de liz um girassol e uma margarida...

Duka Souto 26/05/07

Formosura desvairada...essa menina...gosto dela...tenho um carinho profundo por ela...e ela sabe...kkkk

Formosura desvairada...

moça bela, de tamanha formosura
encarnada numa louca desvairada
todo charme se perde sem compostura
se questiona sempre com a pergunta errada...mudaria se se olhasse no espelho
enxergasse sua aura de luz clara
saberia enfrentar todos seus medos
entretanto nao conhece sua alma...já mulher so se vê como criança
nao procura distinguir certo e errado
sem nem durmir, cansada mesmo entra na dança
desaba em choro por nao ter alguem do lado...porém, terá de caminhar com a solidão
até que chegue a hora de se encontrar
solitária, vagar pela escuridão
um anjo bom meio distante a lhe cuidar...lhe lembra, a claridade do calor do dia-a-dia
fala que a lua tem um sol pra se esquentar
diz que a chuva vem lavar, se arrepia
pergunta ao vento como pode lhe ajudar.

Duka Souto

sexta-feira, 25 de maio de 2007

Improviso com Ilari... repente... amigos brincando com as palavras... de uma forma explicita e poetica... nao liguem...kkkkkkkkkk

>>>Ilari
E se eu aqui agora
Te fizer um desafio
Te chamar pra escrever
Sem tentar perder o fio será q vai rolar??
Vamo lá
Vou dizer pra ocê
Como é bom te acompanhar
Vou tentar versificar
Vou fazer tu enlouquecer
>>Duka
Tente mas pense ligeiro...
Pq hj eu to com a gota...
Com pensamento maneiro..
Não me escondo atrás da moita..
>>>ilari
Vou rimando a improvisar
Vc é retado mesmo
Fala com palavras bonitas
Vejo que nunca desafina
Vai tentando entrar na rima
>>>Duka
Toda palavra é bunita...
Só depende de quem fala,
Como fala ou na escrita,
Como ouve e como cala
>>>Ilari
Vc tem toda razão
Isso todos sabemos
Que não existe grande mistério
Pra sorrir e fazer canção
Digo apenas uma coisa
>>Duka
Poesia é muito bão
>>>ilari
Tem que ser muito sincero
E ouvir teu coração
>>>duka
Ou então ate mesmo
Ter que baixar o pistolão...
Se pegar com o violão
Da um abraço no irmao
E depois puder vuá..
>>>ilari
Então vamo começá
Vamo parar de brincá
De vc eu sei que posso
Exigir todo demais
Solta o verbo pra fora
Vou mostrar como se faz
Isso aqui è um desafio
Como os do nosso sertão,
Tem que ser cabra da peste
Uma faca e facão na mão,
Pra poder espantar os loucos
Que se vem na direção...
>>>Duka
Eu agora me instiguei..
Tu falasse do sertão..
Disse q'eu tava demorando,
Mas num é verdade não.
>>>Ilari
Deve ta é namorando
>>>duka Isso até que possa ser...
Tem gatinhas aki na net
Mas isso é outro papo
Que não entra em nossa enquete
>>>ilari
Vixe que eu quero ver
>>>duka
Vou durmi com a doutora
Que alem de açogueira...
É uma moça muito boa...
Não é boba..
É esperta...
Gosta mermo é de brincar,
Nem agressiva nem quieta...
Faço mermo ela indoidar
>>>ilari
Mas quem é q nesse mundo não gosta de namorar??
Vc se diz muito mulato
Diz que sabe namorar
Diz que faz chuva cair
E anda sem se molhar
Diz que ate relâmpago brabo
Já pegou com sua mão
Diz que toda tua energia
Vc usa e faz canção
>>>duka
Assim tu me faz é ri
Eu num posso me guentá
Mas si isso é verdade
Eu posso fazer o que
Me esconder na vaidade
Timidez vá se fuder
Quero mais é que ela parta
A milhão pra bem distante...
Deixe eu com minhas loucuras D
e um ser-maluko-errante
>>>ilari
Mas menino não se assuste
Loucura é coisa boa
Coitado de quem no mundo
Vive a vagar a toa
nao sabe o que ta perdendo
O sertão não perdoa.
Mas melhor do que isso
Eu agora vou dizer
A melhor coisa do mundo
È ver mulher derreter
Vixe meu pai do céu
Êta mainha do mar
Como gosto de cantar
No teu leito e navegar
Posso ate o mundo ver
Fosso tu se arrepiar
E se tu não interromper
Eu não vou me abalar
Vou falar, cantar pular
Vou ficar a improvisar
>>>duka
Eu concordo plenamente...
Não há nada mió que muié.
Em pé, de lado, deitada,
Ou até de 4 pé...
>>>ilari Branca, preta mulata
Eu gosto de todas as cores
Gosto de todos tamanhos,
Gosto de brincar na cama
Gosto de brincar no banho
Mas se o bicho ta pegando
Me tenho logo a tremer
Fico torto, abestalhado
Sem saber o que fazer..
Corro logo pra caneta
Pego no papel branco
E me tenho a escrever
>>>Duka
Era isso que eu ia dizer

24.05.2007

erro de sistema....

erro de sistema.....

quinta-feira, 24 de maio de 2007

Palavras...

Palavras...
palavras...
palavras...
para que palavras?
diante daquele olhar penetrante,
silencioso,
risonho...
inesgotavelmente tilintante..
que calou-me a fala,
estigou-me a poesia,
trouxe sorte pro meu dia,
carregou-me de leveza,
de beleza sem escala,
dentro d'uma composição,
onde os lábios esborram graça,
sutileza e tudo mais...
Palavras...
de que servem essas coisinhas..
tão singelas..
miudinhas,
e ainda assim..com elas..tento..
no momento..
descrever um sentimento..
a metafísica sem tempo..
sem argumento..
prosa ou verso..
quando eu olhei aqueles olhos..
quando senti a energia..
emudeceu-se o que eu dizia..
pensava..
ou queria pensar..

Duka Souto 20/05/07

Só um dia...Ahhh se ela quisesse...

Só um dia...

Ela é uma flor...tão pequenina...
de beleza, marota e elegância...
tem também no sorriso, uma menina...
e nos olhos um brilho visto a distancia...
ela brinca...dança...
ela saltita...
me salpica com seu pólen estonteante...
seu olhar...mais brilhante...
que pepita...
ao sol...faz em mim...um calafrio arrepiante...
Ahhh...se eu...quer dizer...se ela deixasse...
q'eu cheirasse e degustasse...seu sabor...
q'uma vez só eu a regasse...
com a água da fragrância...de amor...
se ela na minha mão desabrochasse...
de jardineiro viraria...beija-flor...
e se assim juntin comigo...ela voasse...
e o céu miudin intão ficasse...
e pra outra atmosfera nós subisse...
onde não há gravidade...ou resistência...
só estrela...sem idade...e a consciência...
luz e brilho de verdade...só existência...
sua voz doce ao ouvido eu ouvisse...
deixaria de tolice...e nesse mundo...
eu faria tudo IN-verso...bem profundo...
pintaria tudo aquilo que eu visse...
pelos poros escorreria-me energia...
faria música de cada som q’eu ouvisse...
Ahhh...se isso ela quisesse só um dia...

Duka Souto 24/05/07

quarta-feira, 23 de maio de 2007

Uma Flor...

Uma flor...
enigmática...
extraordinariamente...simpática...
leve...delicada...bela...
bem assim como ela...
e meu olhar perdido na janela...
a procurar...a procurar...
e de repente...uma brisa...vem me falar...
me dizer a sua graça...
me embaraça...
estonteia...
devaneia...minha mente...
e ela sente...
sente...e se delicia...
com minha forma de dar bom dia...
e assim...sutil...eu só ouvia...
e ela sorria...
se sacudia...
estremecia...
adorava...
e eu ali...adimirava...
beijava...
degustava...
gozava e ela tambem...
iamos juntos para o alem...
sem...
nenhum pudor...
e um cata-vento...
furta-cor...
a iluminar...e colorir...
já se perdendo...
correndo...
sem nem sair...
dali...
de onde...eu flutuava...
asas a mil...
parado estava...
planando...sob...aquela flor...

Duka Souto 23/05/07

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Um Belo dia Iluminado...

Um belo dia iluminado

Iluminar o dia...?
seria bom, teu dia iluminar,
ler para ti poesias,
ouvir teu doce falar,
unifirca-nos em energia,
isso sim tu ia gostar...
E assim sem mais,
conhecer um pouco do teu ser,
quem sabe até numa prosinha, com uns sorrisos...sintonizar...
olhar nos olhos, enxergar e ver,
o que há por dentro, compreender, só com a alma...comunicar...
E usar a luz, pra flutuar,
e por seu raio, poder subir,
com as palavras...versificar,
com coisas tristes, chorar de rir...
E ir, até onde o ser cansar,
olhar e ver que nao saiu do lugar,
parar o tempo, pra ver o florir,
e no silencio da alma um grito ouvir...
Ouvindo o falar de outro alguem,
ficar Zen, e encantar-se,
adimirar-se, estar ao lado...
isto sim seria...um belo dia iluminado...

Duka SOuto 17/05/07

quarta-feira, 16 de maio de 2007

Maracatu...

Maracatu...

Um apito sôa
ligeiramente seguido do caixa, do tarol
abês, caxixis, xocalhos a chiar
atabaques, timbales batucam
então ouve-se o grave da alfaia
todos juntos, num rítmo gostoso
cruzando a rua da Moeda
vê-se em cores quentes, reis e rainhas
bailando graciosamente com sua nação
arrastando, olhares, pernas balançantes
braços e mãos rodopiantes, para o ar
a energia cria força
no girar da moça
estandartes, repletos de lantejoulas
brilham, como os sorrisos, das faces bobas
faces de mim, deles, de tu
sinto aqui da Bahia, como um tremor de terra
o Marco Zero, é o centro do abalo
na abertura do carnaval de Recife
é a noite do Maracatu...

Duka Souto 16/05/07

terça-feira, 15 de maio de 2007

Sincronia desordenada...

Sincronia Desordenada


Paradoxo, ortodoxo, de enxofre e sal....internalizado, sempre enamorado, por olhares e flores...incomum, desintegrando o descomunal...sabedor ia, não ia a nenhum lugar sem amores....só há dores, dolores, dólares, cores, fabulas, colibris e margaridas...felicidades, saudades, sem idade fim ou partida....tudo é novo neste lugar de velhas lembranças, de velhos amores, ele passeia sobre as saudades daquela flor que se foi...e descobre que foi ilusão, a soledade que ficou no peito, velhos amores, cada qual no seu canto, e no seu respeito...vão...que escorre na vala, com o suor do amor perdido, tudo está em a-gosto, como um novo verão.....em vão ele vai e volta buscando o olhar mais bunito...antes que tudo amanheça num novo luar no ar...ele encontra nesses olhos o começo do infinito, onde o escuro é claro e a noite é dia, e nesse espaço, cheio de laços, vê alguém que em outrora lhe sorria, e dizia...que o frio é uma delicada forma de calor.. que o talvez seja mais interessante do que ter a certeza de qualquer coisa...porque a beleza de tudo é certeza de nada e na incerteza dos fatos, dos atos, dos astros, e cristais de neve quente, em ebuliçao fria de dentro da gente...
na mente...
no seu olhar...
no seu sorriso...
que sem nem se dar...
no seu andar mexe, e sacode comigo
e contudo...ele fica a espreita, observando, olhares de maleita, completamente desnudos de alma....
calma.. que os sonhos tortos enlouquecem a alma confusa e indefinível
dessa mulher, menina, flor inconfundível...aplausível....serena..
inesquecível e nata...
que nenhum seresteiro, com sua serenata...
poderia tê-la,sua beleza incomum pertence a um único sorriso.

Naiana Magalhães e Duka Souto.

Pontal de Maraca

Pontal de Maraca...

as águas correm...do rio pro mar...pensamentos escorrem...as saudades...vão...com a correnteza...que beleza...que lugar...mais lindo ainda...com maré seca e luar...pra registrar...tem que lá ir...pra se molhar...puder sentir...e respirar...o sal de lá...e num suspiro...se enamorar...

duka souto 15/05/07

Souto como eu sou...

Souto como eu sou...

Dentre tantas coisas fiz-me poesia...
Acordei num dia, quis não acordar...
Noite escura e fria. Sonhos alucinantes...
Cheios de instantes, fazem...
Ser quiçá...
Quem noutro momento...
Viu-se em pensamento...
E o questionamento...
Fez-lo refletir...
Onde estaria...
Quem ele seria...
Como ele iria...
Continua aí...
Aí aqui acolá...
Bola embola embolada...
Mão na sacola vaga...
E uma palavra se encontra...
Outra palavra vem...
Junte ela também...
Grite pra alguém...
Mas não está ela pronta...
Tonta, tola, sem...
Nexo, verso, porém...
Mesmo sem ninguém...
Vou com ela rimar...
Verso a verso vou...
Souto como eu sou...
Leve o vento o vôo...
Nunca acabará...

Duka Souto 15/05/07